quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Feedback Desafio Berra-me Baixo. Obrigatório Ler

"Tenho participado no desafio berra-me baixo ao meu ritmo, sem grandes compromissos ou metas, que é como acho que me corre melhor. Hoje é a primeira vez que me apetece partilhar. 

Os resultados têm aparecido mas hoje foi especial pois senti-me verdadeira e completamente em controle da situação e lidei com ela sem um único berro. 

É uma sensação incrível, de segurançapoder mesmo, no bom sentido. E se é para mim, é-o para a minha filha (3 anos e meio) também. 

A história: estamos a mudar de casa, para o centro da cidade. Hoje precisei de fazer um recado e deu-me jeito estacionar na garagem da casa nova. Perguntei à minha filha se queria vir e depois ir a pé para a escola. Ela disse que sim. No caminho, depois de terminado o recado, ela estava muito excitada, corria, saltava, escondia-se... Quando chegamos a uma estrada com carros eu disse que não podia correr mais e tinha que me dar a mão até à escola. Ela não conseguiu parar. Fugia, quando lhe dava a mão esperneava, ria com aquele riso de nervosismo, de quem não consegue parar de rir. Pousei as minhas coisas, parei e não a deixei avançar, dizendo que ela tinha que se acalmar antes de podermos continuar. Esperei calada. Por duas vezes ela disse que já estava calma mas continuou a correr. Só à terceira é que resultou. Tudo terminou com um "desculpa mãe". Lá fomos até á escola, com ela aos saltinhos mas sempre de mão dada. 

Isto não aconteceu de um dia para o outro e já usei este tipo de estratégias várias vezes sem que corresse tão bem. Mas hoje compensou todo o esforço. 

O espontâneo pedido de desculpas também me deixou feliz porque é algo que ela tem aprendido com o nosso exemplo. Sempre que achamos que fazemos algo mal (como berrar muito) pedimos desculpa. 

Resolvi partilhar este momento porque me parece mesmo importante não esquecermos que dos resultados pequenos vão nascer enormes mudanças."

Ana F. Monteiro

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Fevereiro | Ponto de situação

Este mês minimizei pouco. Acho que a única coisa que minimizei mais foi a minha energia.
Falta-me sol, estou farta da chuva. 

Andamos assim há mais de um ano. Lembro-me que quando estava no final da gravidez do meu filho, em 2012, começou a chover. Foi tanta a chuva nesse inverno que o verão, pelo menos aqui onde vivo, só começou na última semana de Junho. 

Todos os dias vou à aplicação do telefone ver a meteo para a semana, na esperança de encontrar mudanças e encontrar sol, em vez de chuva. Aproveito os momentos em que não chove e em que ando na rua para me renovar mas, mesmo assim, ainda não chegou.

Para compensar a falta de sol, reparei que o desafio gentileza dava-me o sol que me faltava. Procuro dar um bom dia mais caloroso às pessoas e, volta e meia recebo um bom retorno. Ou seja, o meu bom dia para o outro acaba por ser um bom 'bom dia' para mim.

Aquilo a que eu me comprometi sobre os livros? Uma parte - doar - está feita. A venda, só depois dos workshops, mas está de pé!

E tu, como vão os teus desafios?

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Gentileza no dia-a-dia!



Fevereiro é o mês da Gentileza, neste blogue. 

Eu sei que esta é também uma competência que se treina. Como na maioria dos casos, aplica-se o provérbio 'O comer e o coçar vai do começar', ou seja, 'o hábito faz o monge'.

De há uma semana para cá eu tenho sido conscientemente mais gentil e mais doce com os de casa. É impressionante como conseguimos esquecer estes comportamentos quando nos chateamos ou quando ficamos frustrados com alguma coisa. E por não me passar, e por gerir as coisas de forma diferente, colho resultados diferentes. 
Sinto que estou mais presente
Sinto que há tanta coisa que não tem assim tanta importância [se lhe trouxe a meia calça azul mas se quer levar a cinzenta, porque raio é que vou insistir com a azul quando pode perfeitamente ser a cinzenta?]
Sinto que o feedback que recebo é o melhor
Em vez de comprar uma discussão, compro a partilha de ideias 
Sinto-me mais serena.

Experimenta! Como? Olha, faz de conta que estás a lidar com pessoas que conheces menos bem - normalmente nessas situações somos mais gentis. E juro-te, é mesmo muito bom!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Desafio Minimiza: como tornar a vida mais fácil

Um dos desafios deste mês é minimizar.

Quando minimizamos criamos espaço para o que é mais importante.

Ainda que este conceito te possa soar a uma coisa simples ou fácil de fazer, desengana-te... É mesmo difícil.
Há sites que me inspiram muitíssimo. Um deles é o da Rita. E depois há o fly lady que, embora precise de um makeover, a verdade é que se aprende coisas brutalmente úteis ali.
Quais? Olha, deixo-te aqui algumas que fazem parte de [quase] todos os meus dias:

1. Calçar-me logo de manhã
A ideia é que, mesmo que estejas em casa, possas começar o teu dia. A ideia é eliminar tudo o que seja muito confortável, tipo calças de fato de treino, roupão and so on.
Eu tenho dias em que, embora trabalhe a partir de casa, não me calço. Isto porque essa é a filosofia cá de casa - é estarmos de chinelos. Mas se há coisa que faço mesmo e me faz sentir logo operacional é pôr make-up (tudo!) e dar um arranjo ao cabelo. Sinto-me logo outra.

2. Arrumar 15 minutos por dia
Pode ser uma gaveta. Pode ser dar ir à dispensa e ver o que está fora de prazo. Não é mais do que isso por isso não podes começar algo que saibas que vai demorar mais que 15 minutos. Usa um timmer. grão a grão... já lá diz o povo, vais longe!

3. Deixa a tua banca a brilhar 
A ideia é que quando acordas de manhã tenhas mesmo vontade de fazer e manter as coisas organizadas. Eu faço isso e de manhã faço a cama.

4. Hidratar o organismo.
Eu começo com um copo de água e com um chá preto. Então nos dias em que acordo super cedo, aí é que me sabe bem as canecas de chá preto que tomo!

São coisas pequenas, é verdade. Básicas? Claro que sim! Mas por serem tão básicas fazem uma diferença brutal no nosso bem-estar.
Vai uma aposta?



quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Equilibrar Gentileza e firmeza, com as crianças

O mês de Fevereiro é dedicado à Gentileza. 

Há uns dias sugeri que sorrisses com os olhos [não precisas de sorrir com os lábios] a quem passasse por ti.


Hoje  [e porque sabes que tenho o blogue Mum's the Boss, onde escrevo sobre temas relacionados com a Educação e Parentalidade Positiva], sugiro que sejas firme com os teus filhos e, ao mesmo tempo firme.


Pois é,  é mais fácil dizer do que fazer... até porque se confunde gentileza com permissividade e uma coisa não tem nada a ver com a outra. 

Agora imagina que o teu filho se passou com o irmão e lhe atira com um livro em cima da cabeça.
De que forma reages?

Normalmente podes ir para um dos extremos:

1 - Pronto, não voltes a fazer isso, que nós cá em casa não fazemos essas coisas. Vai lá pedir desculpas ao teu irmão.
2 - Anda cá, toma lá que é para saberes e agora vai ali para o corredor pensar na tua vida. Ai o menino!

As boas notícias quais são?
Há uma terceira via.

Podes e deves mostrar o teu desagrado [mas primeiro vê se o que levou com o livro em cima está bem!]. E dizer que percebes que ele se tenha zangado com o irmão que lhe disse que não ia mais brincar com ele mas que não aceitas a forma como ele reage.
O que é que estás a fazer? Estás a reconhecer os sentimentos dele e a dizer-lhe claramente que eles têm valor mas a forma como ele os mostra é que é inaceitável

E agora dizes-me assim: 'Mas ele continua a ser mal educado e a dizer aquelas coisas horríveis. O que é que eu faço.'
Podes fazer muitas coisas. Uma delas é dizer-lhe que não aceitas que ele fale assim contigo [tal como não aceitarias isso de outra pessoa qualquer] e por isso que precisas de uma pausa [qual é o problema? se precisares de uma, faz!] e que quando ele estiver mais calmo poderão falar. Aliás, é só nas situações em que as pessoas estão calmas que são capazes de escutar, porque estão disponíveis para isso. Até lá estão irritadas e a defender o 'campo' delas.


Há algum problema nisto, de saíres, respirares fundo e depois lidares com a situação?
A menos que ela tenha mesmo descarrilado, não há. Ao contrário. 

E, na verdade, mostras que te respeitas e ensinas também auto-regulação, que é a capacidade de a criança se acalmar sozinha. Para isso é importante que treines respiração com ele e o ensines a acalmar-se. A isto chama-se auto-regulação.
Mas isso é matéria para um post no Mum's the boss :)

Equilibra gentileza com firmeza é isto. E depois disso, desamarra a cara, que isso não te leva a lado nenhum e não dá vontade de sermos cooperantes contigo.

Sobre estes assuntos convido-te a ler

Como resolver uma birra em menos de nada
As birras dos pais
6 formas para aumentares o vínculo com os teus filhos



segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Fevereiro é o mês da Gentileza e o mês para Minimizares.



Proponho-te o seguinte:

1) Durante esta semana, sorri com os olhos para as pessoas com quem te cruzas. Deixa que o teu olhar consiga iluminar o dia de pessoas anónimas que se cruzam contigo. É interessante poder imaginar que somos a luz que ilumina os outros, não é? E tão simplesmente com um olhar.

2) Escolhe o que queres minimizar: podem ser relações, pode ser o tempo que dedicas a uma coisa, podem ser pensamentos, podem ser coisas. E começa já!


[eu aqui comprometo-me a colocar à venda/doar uma série de livros que tenho até ao final deste mês - depois venho cá prestar contas :) ]